Whisker Menu no Xubuntu

Foi uma dica do usuário xerxeslins, publicada no VOL, que me levou a conhecer o whiskermenu-plugin, mas ela é voltada para o Fedora XFCE Spin e eu uso Xubuntu 12.04, com upgrade no XFCE para 4.10.

Se você não mexeu no seu XFCE do 12.04 (se não fez upgrade via PPA, como eu), poderá utilizar o PPA para o whiskermenu-plugin, assim:

sudo add-apt-repository ppa:gottcode/gcppa
sudo apt-get update
sudo apt-get install xfce4-whiskermenu-plugin

Poderá utilizar o mesmo procedimento também para o Xubuntu 12.10 e 13.04.

Mas se você, como eu, usa o XFCE 4.10 no Xubuntu 12.04, baixe o pacote criado para o Linux Mint e instale, com o dpkg ou simplesmente com um duplo-clique no arquivo baixado. Link para os pacotes:

Baixar o pacote e instalar funciona também para o Xubuntu 12.10 e 13.04, pois ambos utilizam o XFCE 4.10, versão para a qual os pacotes dos links acima estão preparados.

Se você gostar do novo menu, deixe um comentário aqui.

Android 4.x.x no Kubuntu

A dica serve para o Ubuntu ou Mint onde você resolveu instalar o KDE. Serve para Mint KDE “de fábrica”, Kubuntu e outras distros baseadas no Ubuntu que trazem KDE por padrão (lembro, de pronto, do OS/4 Openlinux — que estou usando — e do Netrunner).

O Ubuntu base deve ser 12.04 ou o 12.10. No 13.04, teste antes de qualquer alteração, pois é provável que seu dispositivo Android seja reconhecido numa instalação padrão.

Vamos ao que interessa, então.

Primeiro, faça a instalação do novo GVFS (Gnome Virtual File System) com suporte a MTP (Multimedia Transfer Protocol), assim:

sudo add-apt-repository ppa:langdalepl/gvfs-mtp -y
sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade
 

Depois de reiniciar o sistema, habilite mais um PPA e instale o pacote kio-mtp, assim:

sudo apt-add-repository ppa:philschmidt/ppa-kio-mtp-daily -y
sudo apt-get update
sudo apt-get install kio-mtp

Agora é só plugar seu smartphone, com a opção de sincronização multimídia (MTP em alguns modelos) habilitada, para que ele seja rapidamente reconhecido pelo KDE e possa ser aberto no Dolphin, o gerenciador de arquivos padrão.

Aviso sobre o LibreOffice do PPA “oficial”

O PPA oficial do LibreOffice atualizou a suite para a versão 4.1.

No meu Ubuntu 12.04.2 64 bits, a suite foi atualizada e abriu normalmente, o que me deixou feliz porque há promessa de melhor suporte para arquivos do MSOffice (troco arquivos com usuários da MS frequentemente).

Ocorre que, quando fui usar o LibreOffice no Unity pra valer… surpresa! O “menu global” (globalmenu) quebra o LibreOffice 4.1. É só clicar num item do menu que o LibreOffice desaba, ou trava “sem responder”.

Portanto, àqueles que usam o PPA e usam o Unity, recomendo não atualizar o LibreOffice para 4.1. Deixem o 4.0.4 quieto, ao menos até que eles consertem o menu global do 4.1, desabilitando o PPA nos “canais de software”, assim:

gksu software-properties-gtk

Procure o PPA na aba “Outros programas” e desmarque as duas caixas dele (uma é de código-fonte, a outra é de binários).

Outra opção, reservada para quem quer usar agora o LibreOffice 4.1 no Unity: instalar o pacote baixado do site do Projeto LibreOffice.

Você baixa, descompacta e instala os pacotes .deb, mas antes precisa se livrar do LibreOffice já instalado, seja o do PPA, seja o original. E para se livrar do LibreOffice em geral:

sudo apt-get remove --purge libreoffice-core libreoffice-common
sudo apt-get autoremove --purge

A maioria dos pacotes será removida com os comandos acima, e o LibreOffice padrão da distribuição não será instalado na próxima etapa (economiza um bocado de banda), que irá desabilitar o PPA e reverter as modificações feitas por ele. Seguem os comandos:

sudo apt-get install ppa-purge
sudo ppa-purge ppa:libreoffice/ppa

Após a remoção do PPA, baixe o LibreOffice do site em .deb (32 ou 64 bits, dependendo do seu Ubuntu), descompacte (clique direito do mouse no pacote, opção “extrair aqui”) os três pacotes (“principal”, “idioma” e “ajuda”) e instale com o dpkg.

Para facilitar a instalação do LibreOffice, dividido em muitos pacotes e três pastas descompactadas, recomendo que você instale o pacote “nautilus-open-terminal”, reiniciando o Nautilus (Gerenciador de Arquivos do Ubuntu) com o comando “nautilus -q”; em seguida abra a pasta descompactada, clique num espaço vazio dela (na janela direita, ou seja, na que contem os arquivos) com o botão direito do mouse e escolha “abrir num terminal”. No mais, o comando para instalar com o dpkg é o seguinte: “sudo dpkg -i *.deb” (sem aspas).

Por que o pacote baixado do site funciona e o do PPA não? Porque o do site não tem o menu global, que é a fonte do problema.

Lista de repositórios (fontes) do Ubuntu

Quando você não consegue atualizar ou instalar pacotes (software) no seu Ubuntu, é bem provável que o problema esteja relacionado à lista de fontes, ou de repositórios, que é um arquivo de configuração em texto puro localizado na pasta /etc/apt e que “atende” pelo nome sources.list.

Segue uma versão do citado arquivo para o 13.04, Raring Ringtale, que é a última versão lançada:

## Repositórios habilitados por padrão
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring main restricted
deb-src http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring main restricted

## Correção de erros pós-lançamento
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-updates main restricted
deb-src http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-updates main restricted

## NÃO SUPORTADO LIVRE
## NÃO RECEBE ATUALIZAÇÕES DO TIME DE SEGURANÇA DO UBUNTU
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring universe
deb-src http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring universe
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-updates universe
deb-src http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-updates universe

## NÃO SUPORTADO NÃO-LIVRE
## NÃO RECEBE ATUALIZAÇÕES DO TIME DE SEGURANÇA DO UBUNTU
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring multiverse
deb-src http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring multiverse
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-updates multiverse
deb-src http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-updates multiverse

## NÃO TESTADO, mas com novas funcionalidades
## NÃO RECEBE ATUALIZAÇÕES DO TIME DE SEGURANÇA DO UBUNTU
deb http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-backports main restricted universe multiverse
deb-src http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ raring-backports main restricted universe multiverse

## ATUALIZAÇÕES DO TIME DE SEGURANÇA DO UBUNTU
deb http://security.ubuntu.com/ubuntu raring-security main restricted
deb-src http://security.ubuntu.com/ubuntu raring-security main restricted

## ATUALIZAÇÕES DE SEGURANÇA fornecidas pela comunidade
deb http://security.ubuntu.com/ubuntu raring-security universe
deb-src http://security.ubuntu.com/ubuntu raring-security universe
deb http://security.ubuntu.com/ubuntu raring-security multiverse
deb-src http://security.ubuntu.com/ubuntu raring-security multiverse

## PARCEIROS DA CANONICAL
# deb http://archive.canonical.com/ubuntu raring partner
# deb-src http://archive.canonical.com/ubuntu raring partner


## EXTRAS DE TERCEIROS
deb http://extras.ubuntu.com/ubuntu raring main
deb-src http://extras.ubuntu.com/ubuntu raring main

A versão acima é a original, ressalvada a tradução dos comentários para facilitar o entendimento.

Então, se você quiser usar a lista acima no 12.10, Quantal Quetzal, ou no 12.04-LTS, Precise Pangolin, basta abrir o arquivo acima no Gedit/Editor de Texto do Ubuntu e usar a função de substituição (Ctrl + H).

Para usar a lista no 12.04-LTS, troque raring por precise. Para usar no 12.10, troque raring por quantal. Faça todas as substituições, pois misturar as versões vai lhe trazer problemas.

Antes de mexer na sua lista atual, crie um backup, assim:

sudo cp /etc/apt/sources.list /etc/apt/sources.list.backup

E para abri-la para edição, use:

gksu gedit /etc/apt/sources.list

Agora você já sabe como começar a resolver problemas com as fontes do Ubuntu.

Kernel 3.8 no Ubuntu 12.04-LTS

Já tinha ensinado aqui como instalar o Kernel do Quantal  (12.10) no Precise (12.04).

Se você não leu a dica anterior, siga o link:

Kernel 3.5 no Ubuntu 12.04-LTS

Agora vou ensinar como instalar o Kernel do Raring (13.04) no Precise, que é a versão do Ubuntu com maior suporte (vai até abril de 2017).

Ter o Kernel 3.8 no Ubuntu 12.04-LTS é, mais uma vez, tão fácil quanto “roubar doce de criança”, já que basta usar, no terminal (Ctrl + Alt + T), o comando abaixo:

sudo apt-get install linux-image-generic-lts-raring

Depois de reiniciar o sistema utilizando o kernel novo, instale os “headers” para ele se você costuma compilar código. Faça assim:

sudo apt-get install linux-headers-`uname -r`
(veja que são crases, uma antes e outra depois de “uname -r”)

Os Kernels 3.5 e 3.8 foram adicionados às “backports” (backport = porta-dos-fundos, ou entrada alternativa) do Ubuntu 12.04.2 por conta do suporte ao hardware ampliado e aprimorado, valendo a pena a troca em determinados casos.

Cinnamon 1.8 para Ubuntu (12.04 ou superior)

Mais uma vez utilizaremos um PPA para instalar os pacotes do recém-lançado Cinnamon 1.8, e para fazer isso vamos abrir o terminal e digitar os comandos necessários.

  • Adicionando o PPA:

sudo add-apt-repository ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-stable -y

  •  Atualizando e instalando:

sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade
sudo apt-get install cinnamon

Pronto! Encerre sua sessão do Unity, XFCE, Gnome Shell ou o que seja, e entre numa sessão do Cinnamon pelo LightDM clicando no ícone ao lado do nome de usuário.

Para os curiosos e detalhistas, informo que do download dos pacotes do Cinnamon pouco passa de 20 MB e o espaço ocupado pós-instalação chega a 75 MB.

Conheça o “Boot-Repair”

Trata-se de uma ferramenta simples para reparar problemas de inicialização, ou mais precisamente, problemas com o GRUB (GRand Unified Bootloader).

Esses problemas esporádicos geralmente derivam da instalação ou reinstalação do Windows em sistemas com “duplo-boot”, ou da adição ao “boot” de mais uma distro Linux em sistemas com “múltiplo-boot” (seja 100% Linux, seja Linux + Windows).

O Boot-Repair permite corrigir esses problemas com um simples clique, que geralmente reinstala o GRUB e restaura o acesso aos sistemas operacionais instalados.

E o programa tem ainda “opções avançadas” para criar backups da tabela de partições e dos setores de boot (MBR), criar o “bootinfo” (arquivo de informações utilizado para obter ajuda por e-mail ou em fóruns) e alterar os parâmetros de reparo utilizados por padrão.

Ele pode ser utilizado também para configurar o GRUB, adicionar opções de kernel (acpi=off, por exemplo), remover o GRUB completamente, mudar o sistema operacional padrão, restaurar a MBR e muito mais.

O Boot-Repair é um software livre, licenciado sob a GNU-GPL, que em breve deverá ser incluído nos repositórios do Ubuntu.

Obtendo o Boot-Repair:

1ª opção: baixar uma ISO que inclua o Boot-Repair e criar um Live CD/USB de inicialização.

E o Linux-Secure-Remix, baseado no Ubuntu 12.10 e sobre o qual já postei aqui, é uma dessas ISOs.

2ª opção: instalar o Boot-Repair no Ubuntu, de preferência num Live USB criado com “persistência”, ou seja, capaz de salvar as alterações do usuário.

Notem que essa instalação funcionará também em Live CDs, mas ela, a instalação, só valerá para a seção aberta e não poderá ser reaproveitada.

Após inicializar seu Live CD/USB, abra um terminal e digite:

sudo add-apt-repository ppa:yannubuntu/boot-repair -y && sudo apt-get update

Pressione Enter e então digite:

sudo apt-get install -y boot-repair

Pressione Enter e vá ao Dash para procurar pelo Boot-Repair (nos menus do Mate, Cinnamon, XFCE etc. ele deverá estar em “Sistema -> Administração -> Boot Repair”), que também poderá ser aberto pelo terminal, com o comando abaixo:

gksu boot-repair &

Usando o Boot-Repair:

Após lançar o Boot-Repair (acima), a interface vista será a seguinte:

Imagem

E a “reparação” deverá ser feita clicando no botão “Recommended repair (repairs most frequent problems)”, já que as opções avançadas devem ser acessadas apenas por usuários experientes, que saibam o que estão fazendo.

Se o “Recommended repair” falhar, você deve utilizar o “bootinfo” que estará na URL (paste.ubuntu.com/XXXXX)  que será mostrada logo após o reparo padrão.

Indique essa URL (anote-a, portanto) nos fóruns apropriados e você certamente receberá auxílio mais eficiente.

Links externos:

Observação necessária:

Este post é quase uma tradução do quanto está nos links acima, em inglês. Créditos devidos aos originais ficam resguardados, portanto.

Android ICS (4.0.x) no Ubuntu 12.x [melhorado]

Eu já tinha tratado do assunto, mas houve uma melhora considerável no suporte ao Android ICS via outro PPA.

Então, como primeira providência, utilize o “ppa-purge” para se livrar das alterações anteriores, assim:

sudo apt-get install ppa-purge
sudo ppa-purge ppa:webupd8team/unstable

Melhor reiniciar o sistema antes de prosseguir.

Agora faça a instalação do novo GVFS (Gnome Virtual File System) com suporte a MTP (Multimedia Transfer Protocol), via outro PPA:

sudo add-apt-repository ppa:langdalepl/gvfs-mtp -y
sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade

Novo reboot antes de plugar seu dispositivo Android ICS ou superior e vê-lo montado automaticamente.

Linux-Secure-Remix (ISO especial para instalar Ubuntu em “dual boot”)

Isso mesmo. Já existe uma ISO preparada para enfrentar a tarefa de instalar o Ubuntu “lado a lado” (dual boot) com Windows ou MAC-OSX, e o atual nome dela é o do título (era Ubuntu-Secure-Remix).

Você pode encontrar o Linux-Secure-Remix no respectivo site, em versão de 32 ou de 64 bits (a última é recomendada para máquinas com UEFI).

As duas opções trazem o último lançamento do Projeto Ubuntu, o Quantal Quetzal, ou Ubuntu 12.10, que utiliza o Unity como desktop padrão.

As vantagens de usar o Linux-Secure-Remix:

  • Clean-Ubiquity: backup automático das  MBRs e tabelas de partições durante a instalação, permitindo a recuperação em caso de erro do usuário
  • OS-Uninstaller: ferramenta universal de remoção de sistemas operacionais (remove Linux, Windows ou MAC-OSX)
  • Boot-Repair: ferramenta para reparo do boot, capaz de remover inteiramente o Grub (restaurar o boot original) ou recuperá-lo

Se você pretende instalar o Ubuntu em dual boot, ou tem um computador com UEFI, dê uma chance ao Linux-Secure-Remix.

Decorando o Gnome Shell do Ubuntu 12.10

Se você usa o “Gnome Shell”, provavelmente gostará de utilizá-lo com um tema bem ao estilo de Cupertino (sede da companhia da Maçã).

Primeiro, instale os ícones “Faenza-Cupertino” (aliás, instale todos os Faenza).

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/themes -y
sudo apt-get update
sudo apt-get install faenza*

Em seguida, instale o tema “Gnomishgray” a partir do mesmo PPA do Faenza.

sudo apt-get install gnomishgray-theme

Para trocar de tema, instale o “gnome-tweak-tool” e as extensões do Gnome, especialmente a “User themes”, que precisa ser habilitada no menu “Extensões do Shell” do citado “gnome-tweak-tool”.

sudo apt-get install gnome-tweak-tool gnome-shell-extensions

Caso a extensão “User themes” esteja marcada com uma exclamação, indicando erro, rode o comando abaixo e depois reinicie sua sessão do Gnome Shell.

sudo glib-compile-schemas /usr/share/glib-2.0/schemas

Agora você deve conseguir habilitar o tema como na imagem abaixo.

Captura de tela - 19-03-2013 - 03:37:45

E chegamos ao fim, com seu desktop mais ou menos assim:

Captura de tela - 19-03-2013 - 03:16:35

Se você gostou, ou tem algo a acrescentar, deixe seu comentário.